Centro Ciência Viva da Floresta quer levar as pessoas “Rio Acima”

O Centro Ciência Viva da Floresta promove em outubro uma série de atividades enquadradas no âmbito do projeto “Rio Acima”, nomeadamente percursos interpretativos e ações de limpeza em zonas ribeirinhas do concelho. Com estas ações pretende-se sensibilizar para a importância dos rios e ribeiras a nível ambiental, social e económico, contribuindo para o conhecimento, reabilitação e proteção destes ecossistemas. As ações de limpeza irão decorrer nos dias 6 e 21, nas praias fluviais do Malhadal e da Fróia, respetivamente, e os percursos interpretativos realizam-se nos dias 7, 13 e 14, na praia fluvial do Malhadal, no rio Ocreza (Sobral Fernando) e na praia fluvial da Fróia, respetivamente.

Assim, dia 6, às 8h30, a praia fluvial do Malhadal recebe a iniciativa “Rios que nos alimentam”, numa ação de limpeza que envolverá também identificação de plantas comestíveis. No dia 7, às 9h00, decorre a atividade "Malhadal: À descoberta de um refúgio", que se repetirá no Rio Ocreza, Sobral Fernando, a 13 de outubro, pelas 9h00, e na Fróia a 14 de outubro, pelas 9h00. Durante estes percursos interpretativos, será abordada a importância destes ecossistemas ribeirinhos e os participantes serão convidados a descobrir e conhecer aqueles refúgios naturais, a sua biodiversidade e formas de os preservar.

A 21 de outubro, na praia fluvial da Fróia, tem lugar a atividade "Aves e Ribeiras: alguns amargos nas águas doces". Nesta ação de limpeza, os participantes vão também identificar aves ribeirinhas e debater formas de combater as práticas humanas que prejudicam estas espécies. A atividade deste dia está inserida no passeio pedestre, organizado pelo Município de Proença-a-Nova, com inscrições a decorrerem no Posto de Turismo ou na página da Câmara Municipal.

As inscrições nas restantes atividades são efetuadas em www.cienciaviva.pt/rioacima, ou através do email do Centro Ciência Viva da Floresta (info@floresta.cienciaviva.pt). Para as atividades “Rio Acima”, financiadas pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente com projeto elaborado pelo Ciência Viva, é sugerido trazer roupa e calçado adequado, chapéu ou boné, protetor solar, água e uma merenda.

2018-10-04