Cadastro das infraestruturas existentes no concelho já está concluído

O Município de Proença-a-Nova concluiu o Cadastro das Infraestruturas Existentes nos Sistemas em Baixa, de Abastecimento de Água e de Saneamento de Águas Residuais no âmbito da aprovação de uma candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos. No caso das Águas Residuais, o cadastro incluiu a localização dos ramais, com o nº de polícia associado, inspeção e caracterização das caixas de ramal, com medição da profundidade de soleira e de entrada e saída dos ramais; identificação dos diâmetros e materiais dos ramais; inspeção e caracterização do interior das caixas de visita para apuro do traçado da rede com a medição da profundidade de soleira das mesmas e das profundidades de entrada e saída dos coletores; identificação dos diâmetros e materiais dos coletores; localização e caracterização de Estações Elevatórias de Águas Residuais; e localização e caracterização de Estações de Tratamento de Águas Residuais e Fossas Sépticas.

No caso da rede de abastecimento de água, o levantamento efetuado inclui a localização dos reservatórios e de hidrantes (bocas de incêndio de parede, bocas de rega e lavagem, marcos de incêndio de parede, bebedouro e chafariz); a identificação dos diâmetros e materiais das condutas adutoras e de distribuição; a localização dos furos-de-captação; a localização das válvulas de seccionamento, de ramal, redutoras de pressão, de retenção, de limite de zona, de descarga, reguladora de caudal, de controlo de nível, de alívio, entre outras; a localização das  ventosas e das descargas de fundo.

Com o levantamento realizado, o Município tem agora a configuração atual de ambas as redes: a Rede de Saneamento de Águas Residuais tem 102.260 metros lineares de condutas, 2.273 câmaras de visita e 139 caixas de ramal; a Rede de Abastecimento de Água conta com 412.910 metros lineares de condutas, 60 reservatórios e 6775 contadores. “Esta candidatura, que se insere no esforço de dotar o Município de uma ferramenta importante para a gestão, é mais um relevante apoio à decisão porque é essencial conhecer e ter informação atualizada das infraestruturas, pois só gere bem quem conhece bem, potenciando a capacidade de intervir de forma assertiva e daí se retirar ganhos de operacionalidade e redução de custos”, afirmou João Lobo, presidente da Câmara Municipal, na altura do lançamento deste concurso.

2018-09-07