“Caminhos da fé e do pão” apresentado nas Corgas

O livro “Caminhos da Fé e do Pão”, em homenagem ao Padre Joaquim Martins Castanheira, foi apresentado no dia 2 de dezembro, na aldeia das Corgas, terra natal do sacerdote. Ali nasceu há mais de um século e, mais tarde, partiu para o Brasil onde esteve grande parte da sua vida ao serviço do povo. A obra dinamizada por Libânio Martins e que contou com a colaboração da família Castanheira, relata a vida do Padre Castanheira e reúne 20 testemunhos de vários familiares, corguenses e ainda de três mensagens: do Secretário de Estado das Comunidades, do Pároco da Paróquia de Proença-a-Nova e do Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo.

Na cerimónia o Presidente do Município, João Lobo, destacou “aqueles que no século passado, como o Padre Joaquim Castanheira, que face às dificuldades que se viviam na época, foram para terras longínquas e que levaram consigo as vivências e os valores que adquiriram nas suas aldeias, como o caso das Corgas”. O autarca falou do livro “como um elemento que liga a um espaço do concelho, como um fenómeno de atratividade e ainda como fator que deixa imortal a vida deste notável corguense”.

O Bispo da Diocese Portalegre-Castelo Branco, D. Antonino Dias, marcou presença na apresentação do livro e frisou “o papel fundamental que os seminários tiveram no ensino português, mesmo para aqueles que não seguiram uma vida sacerdotal”. O bispo lembrou ainda vários sacerdotes da região e do concelho, que levaram a palavra de Deus pelo Mundo, destacando os seis padres nascidos na aldeia das Corgas: Monsenhor Manuel Alves, Cónego Joaquim Cristóvão, Padre Narciso Cristóvão, Padre José Maria Cristóvão de Almeida, Padre Joaquim Martins Castanheira e Padre Manuel Joaquim Cristóvão.

As representantes da família Castanheira, Celeste e Carla Castanheira, agradeceram ao Município de Proença-a-Nova pela ajuda prestada, ao dinamizador Libânio Martins e ao povo das Corgas “que nos recebem sempre com muito carinho e atenção”. Carla Castanheira leu ainda uma carta de Luiz Artur Castanheira, que fez a maior parte da investigação no Brasil, e que fala deste livro “como uma homenagem e um gesto de gratidão para com o meu tio-avô”.

Foi referido ainda que as receitas do livro, que custa 10 euros, revertem na totalidade para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova, por ocasião do seu 70º Aniversário, e estará à venda na aldeia para quem o quiser adquirir.

Após a apresentação foi inaugurada a exposição “As alminhas e a encomendação das almas” que pretende dar a conhecer as tradições e memórias da aldeia de Corgas. A mostra estará patente até dia 31 de dezembro, na sede da Associação.

2018-12-05