Município e CCV da Floresta promovem ação de sensibilização na Assembleia da República

A Assembleia da República recebeu, no Dia Mundial do Ambiente que se assinala a 5 de junho, a Câmara Municipal de Proença-a-Nova e o Centro Ciência Viva da Floresta para a ação de sensibilização do projeto Proença-A-Nova Floresta integrado nas comemorações do Ano Municipal da Floresta. “Plantar o futuro no sítio certo” foi o nome da iniciativa que consistiu na entrega simbólica de espécies autóctones para serem adotadas pelos deputados que ficaram com a responsabilidade de as devolver “ao sítio certo”. Depois de as plantarem o CCV da Floresta irá georreferenciá-las para que acompanhem o seu crescimento.

“O Ano Municipal da Floresta tem um cariz simbólico depois daquilo que foram os trágicos acontecimentos do ano passado e por esse motivo decidimos reforçar a capacidade que a floresta tem de se renovar todos os dias, potenciando-a. A janela de oportunidade que infelizmente a tragédia abriu não pode ser desperdiçada e neste Dia Mundial do Ambiente viemos oxigenar a Assembleia da República, lembrando que existe um enorme desafio na estratégia que deve ser encarada como um desígnio nacional, com políticas públicas assertivas que olhem para a floresta como fonte geradora de riqueza e que é uma forma de reverter o despovoamento dos territórios do interior”. O autarca falou também do projeto piloto do cadastro florestal, no qual Proença-a-Nova está integrado e apelou aos deputados para que seja prolongado o prazo que terminará a 31 de outubro. “Só gere bem que conhece bem e esta é a oportunidade de cadastrar o país. Este é o primeiro passo para depois de conhecedores do território, ordenar e promover a sua gestão. A manutenção da biodiversidade, a resiliência ao fogo, a preservação dos solos e a definição de um modelo para quantificação do valor de bens e serviços do proprietário são centrais para melhorar a sustentabilidade e a qualidade da gestão dos espaços florestais”, concluiu.

A iniciativa, que decorreu na Biblioteca Passos Manuel do Palácio de S. Bento, foi uma maneira de sensibilizar e incentivar os deputados para a importância da floresta, quer do ponto de vista ambiental, quer do ponto de vista económico. Na ocasião, Hortense Martins, deputada pelo PS do Distrito de Castelo Branco, enalteceu este gesto e afirmou que “a floresta engloba questões económicas, mas também educacionais e estas são abordagens essenciais para que a floresta seja vista como um recurso com valor económico, pois só assim podemos atrair pessoas para estes territórios. A reforma da floresta que o Governo lançou assim como os aspetos quer na renovação e reflorestação, quer na prevenção são essenciais”.

Esta ação de sensibilização contou também com a presença do deputado Joaquim Barreto, Presidente da Comissão da Agricultura e Mar que elencou os diferentes usos da floresta que não se resumem só à madeira e frisou a necessidade de criar “uma floresta para todos e com todos”, explicando que “quando há autarcas que aliam o poder à inovação da floresta e que procuram apelar e envolver todos do ponto de vista ambiental, dá-nos uma indicação forte da riqueza florestal”.

No final desta ação foram também distribuídas cerejas de Proença-a-Nova pelos deputados dos Grupos Parlamentares.

2018-06-08