Loja “Produtos e Territórios” no Intendente com nova gerência

A loja “Produtos e Territórios”, que apresenta produtos do interior do país no Largo do Intendente, em Lisboa, reabriu esta terça-feira, 4 de julho, com nova gerência. Entre os produtos disponibilizados encontram-se vinho e azeite de Proença-a-Nova, das marcas Monte Barbo e Lagares da Catraia. “Esperamos muito em breve ter mais produtos representativos do nosso concelho nesta loja que é, efetivamente, um projeto que, a ser bem-sucedido, irá projetar Proença-a-Nova e todo o território”, referiu João Lobo. O presidente da Câmara Municipal, que esteve presente na reabertura da loja, lamentou que a anterior gestão não tenha correspondido às expetativas criadas, levando a que o espaço encerrasse. “Esperamos que a vontade expressa pelo atual concessionário se traduza no sucesso de um conceito que a todos beneficiará. Da nossa parte, terá com certeza todo o apoio para uma promoção em várias vertentes, incluindo a turística, cultural, patrimonial e gastronómica”, defendeu.

Mais do que a venda de produtos, esta loja, que se situa nas antigas cavalariças da Fábrica da Viúva Lamego, acaba também por ter o importante papel de divulgar o território do interior do país na capital portuguesa, beneficiando de uma montra privilegiada que chegará também aos muitos turistas que visitam Lisboa. No evento de reabertura do espaço, Guilherme Leão, o novo responsável pela concessão, destacou o facto de Portugal estar na moda e de esta ser uma forma de divulgar o nosso país. “Seguramente que este projeto vai ser diferenciador na perspetiva de que não há muitos projetos que aglomerem tantos territórios num único espaço”, referiu. 

A loja reúne seis Associações de Desenvolvimento Local: CoraNe – Raia Nordestina, Terras de Sicó, TAGUS – Ribatejo Interior, AderAl – Norte Alentejo, Monte – Alentejo Central e Pinhal Maior (que, além de Proença-a-Nova, integra os concelhos de Mação, Oleiros, Sertã e Vila de Rei), representando um total de 38 municípios. A presidente da direção da TAGUS – Ribatejo Interior, Júlia Amorim, destacou a diversidade existente nas propostas de produtos e de artesanato. “O conceito que idealizámos há alguns anos é de promoção do que os nossos territórios têm de bom e que possam ter um espaço num local privilegiado, como é este, e que seja dirigido por alguém que apreenda o nosso conceito”, referiu.

2017-07-06