Empresas exportadoras do concelho ouvidas pelo Secretário de Estado da Internacionalização

O Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, reuniu este sábado, 18 de novembro, com algumas empresas exportadoras do concelho de Proença-a-Nova com o objetivo de “olhos nos olhos” ouvir dos empresários questões que surgem quando exportam e eventuais problemas. “Em grande medida a internacionalização começa em casa. Uma parte substantiva do nosso trabalho começa em Portugal, no território, percebendo como é que podemos capacitar as empresas, como é que podemos ajudá-las a crescer e ir aos mercados internacionais, quais é que são as dificuldades que têm no mercado local mas acima de tudo como é que, com as nossas políticas públicas, podemos ajudar”, referiu  o governante. As 18 empresas presentes na reunião, de diferentes sectores de atividade, acabaram por identificar dificuldades relacionadas com a procura de novos mercados, a ausência de um único interlocutor no Estado, a inexistência de documentos comuns consoante o país - no que diz respeito ao sector alimentar ou a informação legalmente exigida para exportar e que altera consoante o mercado.

Para o presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo, a reunião realizada foi muita positiva pela participação das empresas presentes e por o discurso estar muito focado nas pequenas e médias empresas, as que caracterizam o tecido empresarial concelhio. “Sabemos de antemão que estando num concelho como o nosso, com a nossa realidade e com a escala que as nossas empresas têm, os processos de internacionalização podem ser difíceis, mas esperamos que o Governo possa dar um novo alento principalmente neste momento que atravessamos, depois do flagelo dos incêndios, em que é preciso olhar para o interior conscientes do esforço que é preciso fazer”, referiu João Lobo. O autarca voltou a destacar a importância da Diáspora Proencense, “aqueles que estão lá fora e que têm raízes no nosso concelho e que são âncoras fundamentais porque criam condições e sinergias nos locais em que estão”.

A visita do Secretário de Estado da Internacionalização ao distrito de Castelo Branco incluiu, para além de Proença-a-Nova, visitas ao Fundão, Covilhã e Castelo Branco onde reuniu com empresas exportadoras e associações locais. Eurico Brilhante Dias destacou o papel desempenhado pelo AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, instituição que tutela, e o que está a fazer pelas empresas portuguesas no processo de internacionalização em quatro áreas: como interlocutor das empresas - cada uma deve ter o gestor de conta da internacionalização que fornece importantes dados sobre o mercado, potenciais contactos ou oportunidades de negócio; na capacitação para a ação no mercado; na forma de capital para o processo de internacionalização através de instrumentos financeiros; e no apoio nos mercados, quer de forma direta pelo AICEP ou pela rede diplomática consular. “O país precisa mesmo de ter mais exportações e de exportar para mercados diferentes. Não vamos conseguir crescer e gerar mais emprego se o país não fizer com que o crescimento das exportações seja claramente superior ao crescimento do PIB e não vamos conseguir criar mais postos de trabalho qualificados se não atrairmos mais investimento direto estrangeiro e se não promovermos o investimento que gera postos de trabalho qualificados”, defendeu Eurico Brilhante Dias.

2017-11-21